sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Setembro e outubro para as crianças no Centro Cultural da Malaposta


O espetáculo "Às Crianças" é composto por três contos do livro Contos Negros para os Filhos dos Brancos, de Blaise Cendrars - "O Pássaro da Cascata", "Porque é que Ninguém Leva o Caimão para o pôr na Água" e "O Vento".

No primeiro, a criança lida com a noção de perda quando, ao ganhar algo, isso lhe é retirado por vários elementos da Natureza. De seguida, um caçador apercebe-se de quão valiosa é a bondade, e da importância de preservar a confiança no outro; no último conto, revela-se as diferentes facetas do vento, as suas qualidades e os seus segredos.

Nas três histórias reflete-se sobre a vida na comunidade, a sua inserção no meio circundante, e sente-se uma consciência ecológica manifesta no caráter amoral e consequente da Natureza. Não são bem fábulas, embora os animais falem, pois não estão em lugar do Homem: os animais são a Natureza na sua força primordial. Valores como a solidariedade e a justiça, ou a importância da experiência e da integração na comunidade trespassam as narrativas.

O espetáculo decorre de 21 de setembro a 20 de outubro e os bilhetes têm preços que variam entre os 5 e os 8 euros. As sessões são de terça a sexta-feira às 10h30 e às 15h00; aos sábados às 16h30 e aos domingos às 11h00.

O Teatro ABC.PI - Associação Cultural e Artística, nasce da união de jovens atores e do encenador Rogério de Carvalho, dispondo-se a criar novos públicos e a conciliá-lo com obras artísticas de grandes autores de carácter universal. Revela-se profissionalmente em 2005, com o espetáculo A Apologia de Sócrates, de Platão, no 22º Festival Internacional de Teatro de Almada, onde recebe a distinção da crítica de Teatro do Jornal Expresso.

O Centro Cultural da Malaposta fica na Rua Angola, em Olival Basto.

Está disponível nova versão do YouTube para crianças


O YouTube para crianças passa a ter um site próprio. O objetivo é dar aos mais novos uma versão filtrada do serviço, sem comentários, que apenas inclui conteúdo infantil. A notícia foi dada em comunicado.

A nova versão online do YouTube para crianças deverá servir como uma alternativa a menores de 13 anos que utilizavam, até agora, o site principal.
Para aceder ao painel de controlo (intitulado "configurações dos pais") só é preciso responder a uma conta de multiplicar. A partir daí pode-se definir uma palavra-passe para os adultos, desativar a função de pesquisa - para que a aplicação mostre apenas os vídeos mais populares -, e definir a faixa etária dos utilizadores da aplicação - até aos quatro anos; dos quatro aos oito anos, ou dos oito aos 12 anos.

A equipa do YouTube Kids admite que podem existir falhas na filtração de algum conteúdo, e pede que qualquer conteúdo impróprio detetado seja denunciado. "O nosso sistema esforça-se por reduzir conteúdo impróprio para cada faixa etária, mas nem todos os vídeos podem ser manualmente revistos", escreve a equipa do YouTube.

Uma versão com credenciais de acesso vai ser disponibilizada em breve, permitindo guardar vídeos e temas preferidos pelas crianças. No futuro, também vai ser possível limitar ainda mais o tipo de conteúdo a que as crianças têm acesso, tal como na aplicação.

Embora a versão para crianças do YouTube não autorize anúncios a brinquedos, alimentos açucarados ou fast food, não limita o acesso a vídeos sobre o tema, já que é possível ver vídeos de crianças a visitar restaurantes de hambúrgueres para brincar, ou a comer bolachas de chocolate populares para adivinharem o sabor.

A nova versão online do YouTube Kids chega numa altura em que a plataforma é alvo de escrutínio pelo conteúdo que tem destinado a crianças e aquilo que faz com os dados recolhidos, nota o Público.
Nos Estados Unidos, a Comissão Federal do Comércio abriu uma investigação para averiguar se a empresa recolhia, indevidamente, dados de menores de 13 anos. Ao fazê-lo, o YouTube está a violar a lei do país norte-americano sobre a proteção de crianças online.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

50 anos da chegada do Homem à Lua



"The Eagle has landed!". Foi com estas palavras que os astronautas Neil Armstrong, Edwin "Buzz" Aldrin e Michael Collins anunciaram a chegada do primeiro veículo espacial tripulado à Lua. 

Quando a bota de Neil Armstrong pisou pela primeira vez solo lunar, a 20 de julho de 1969, o feito foi celebrado em todo o mundo como um triunfo para a Humanidade. 

A Ciência Viva, em colaboração com a Agência Espacial Portuguesa e a Agência Espacial Europeia, através do ESERO Portugal, organizam uma programação especial neste mês de setembro, em outubro e novembro que passa em revista cinco décadas da conquista do Espaço.

Teatro Espacial
FIRST MAN - Oh Astronauta, tenho tantas perguntas para te fazer!

As comemorações do 50.º Aniversário da chegada do Homem à Lua continuam no Pavilhão do Conhecimento. Como ir ao teatro é sempre uma boa ideia... deixe-se inspirar por esta peça dedicada a famílias que conta a história da menina Estrela que tem um sonho: quer ser astronauta!

Traga os miúdos ao centro para uma tarde de domingo que os vai fazer sonhar com o espaço.

Público-alvo: a partir dos 5 anos de idade
Produção: projeto Animantes - Co-produção: Casa da Ciência de Braga
A inscrição é obrigatória e pode fazer-se aqui.

10 de outubro - quinta-feira - 19h00
MITOS, TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO E PLANOS FUTUROS PARA A EXPLORAÇÃO DA LUA
Semana Mundial do Espaço - Palestra e debate
Pavilhão do Conhecimento - Centro Ciência Viva
Entrada livre mediante inscrição prévia

15 e 16 de novembro - sexta e sábado
6.ª CONFERÊNCIA DE PROFESSORES ESPACIAIS
O tema da exploração espacial estará em foco nesta iniciativa dirigida a Professores do Ensino Básico e Secundário.
Pavilhão do Conhecimento - Centro Ciência Viva
Entrada livre mediante inscrição prévia

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

De férias na Biblioteca


A Biblioteca Municipal da Póvoa de Santa Iria convida-te a passsares as primeiras tardes de setembro entre livros, histórias e atividades surpresa.

Nos dias 3, 4, 5, 10, 11 e 12 de setembro há vários ateliês de trabalhos de expressão plástica entre as 14h30 e as 16h30.

As atividades destinam-se a crianças dos 6 aos 10 anos.

A inscrição é gratuita, mediante marcação prévia pelo telefone 219 533 050 ou pelo e-mail bmpsi@cm-vfxira.pt.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Mais de 100 mil espectadores já descobriram "A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2"



Em exibição desde o dia 6 de junho, "A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2" já foi visto por mais de 100 mil espectadores, com uma receita de bilheteira superior a 530.000€. A notícia foi dada em comunicado enviado à imprensa.

Repleto da irreverência e humor, o novo filme de animação "A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2" da Illumination ("Gru - O Maldisposto" e "Mínimos"), explora neste capítulo as vidas emocionais dos nossos animais de estimação, a forte ligação entre eles e as famílias que os amam e responde à pergunta que intriga há muito tempo os donos de animais: o que fazem realmente os nossos bichos quando não estamos em casa?

Esta é a continuação do filme com o mesmo nome que fez grande sucesso em 2016. As vidas dos nossos animais de estimação, de cada vez que saímos para o trabalho ou para a escola, voltar a servir de fonte de inspiração para uma comédia bem animada...

Em "A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2", Katie, a dona de Max e de Duke, casou-se e teve recentemente o seu primeiro filho. Obcecado em proteger o filhote dela, Max desenvolve um tique nervoso que faz com que Katie procure ajuda num veterinário especializado em perturbações emocionais. E muitas aventuras surgem a partir daí...


terça-feira, 13 de agosto de 2019

"A Criança que queria ser... Criança!"



Porque é na infância que se formam alicerces e semeiam valores para a construção de um adulto feliz, Andreia Espain, professora e coordenadora-geral do projeto Happy Zone, escreveu um livro sobre a enorme importância desta fase da vida - "A Criança que queria ser... Criança!".

Editado pela Happy Zone Edições, o livro tem uma mensagem que é transversal a todas as idades, uma vez que desafia à reflexão em família das características e vivências infantis, da importância de educar para as emoções de forma a desenvolverem-se, desde tenra idade, competências que permitam relacionar-se consigo, com as pessoas e com o mundo.

De acordo com Andreia Espain, "a narrativa do livro desenvolve-se por um conjunto de metáforas que são tranversais a todos, crianças e adultos. As várias mensagens versam sobre o que de mais valioso têm a infância, mas que, tantas vezes, insistimos em retirar às crianças. É sobre a pureza e a capacidade de aproveitar o momento presente na vida de uma criança e que os adultos se esquecem, tantas vezes. É sobre ser pessoa, com tudo o que isso implica: emoções, aprendizagem, resiliência".

Identificar e aprender a gerir sentimentos desde pequenos é outra das mensagens do livro. Para a autora, a educação emocional é um aspeto central do desenvolvimento humano e, por isso, relembra que é no seio da família que a criança encontra os seus primeiros mestres.

Andreia Espain nasceu no Porto, onde vive e desenvolve os seus projetos profissionais como professora do Ensino Secundário e coordenadora-geral do projeto HAPPY ZONE®.

Andreia Espain é mãe de duas meninas, a sua maior inspiração para este livro.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Drones impressos em 3D para as crianças programarem nas escolas



O acrónimo STEM (sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) é uma das palavras da moda. Cada vez que alguém pergunta como enfrentar as futuras revoluções digitais ou se formulam cenários de profissões do futuro, o STEM surge como estrela. Trata-se de um simples capricho ou de uma evidência comprovada? De acordo com um estudo da Randstad Research, em 2022 serão necessários em Espanha 1.25 milhões de postos de trabalho qualificados para fazer face à digitalização e robotização da grande maioria das tarefas produtivas. Neste caso, poderia afirmar-se que, para evitar que os robôs acabem por nos roubar o trabalho, o melhor é aprender a construí-los e programá-los. Curiosamente, embora se conheça a necessidade de formação em STEM para enfrentar esta grande mudança, o número de licenciados nestas áreas não aumenta de ano para ano. Antes pelo contrário: em 2021, espera-se que se formem cerca de 57 600 estudantes, um número bastante inferior aos 69 113 que o fizeram em 2016. Este défice também pode ser observado no mercado de trabalho, onde, segundo a Adecco, existem menos 60% de engenheiros informáticos do que os atualmente necessários em toda a Europa.

Geralmente consideradas matérias difíceis, a ciência em geral (e a matemática em particular) despertaram demasiadas vezes a antipatia dos mais jovens. É uma ideia que pode esconder uma forma pouco feliz de as ensinar que talvez tenha travado um bom número de vocações.

É assim que a empresa catalã Bonadrone nasce com o objetivo de despertar vocações científicas. Para isso, desenvolveu kits de construção de drones que incluem material docente centrado no desenho CAD, na impressão 3D, na eletrónica ou na programação. "Queremos levar as novas tecnologias aos estabelecimentos de ensino, pois é lá que se cria o potencial do futuro", garante Alex Cazorla, cofundador da Bonadrone. "O que vemos hoje é que muitos professores querem ensinar novas tecnologias, mas não sabem como. Queremos disponibilizar todas as ferramentas para que isso seja possível". Com a ajuda dos professores, os alunos não só montarão os seus drones, como terão também a tarefa contínua de programar o aparelho e de incluir sensores que lhes permitirão desenvolver diferentes projetos.

Segundo Cazorla é necessária uma mudança de mentalidade em relação a uma forma de ensino que se está a tornar obsoleta: "O ensino ainda é unidirecional, ou seja, o professor explica e os alunos ouvem. Não consideramos que seja um bom sistema de aprendizagem". Defende uma mudança de sistema segundo a qual "o protagonista será o aluno e não o professor. O professor tem de ser apenas mais uma ferramenta do sistema educativo".

Fonte: Vodafone

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Festival Música Júnior encerra com dois concertos



Pela primeira vez o Festival Música Júnior realiza a sua VIII Edição na cidade de Ponte de Sor e os 360 participantes já se encontram desde o passado dia 27 de julho a preparar os dois concertos finais com o apoio de 34 professores e três maestros de Portugal e Espanha.

Em palco vai estar um Coro, uma Big Band, uma Orquestra Juvenil e um Orquestra Sinfónica, que vão interpretar obras de Gershwin, Puccin, Bizet, Verdi, Wagner, Andrew Lloyd Weber, Rodgers/Hammerstein e Kurt Weil.

Os solistas convidados são Bárbara Barradas, Carlos Cardoso, Sissi Martins e Ruben Madureira.

O festival é o culminar do estágio de verão de mais de 350 alunos, oriundos das melhores escolas de música de Portugal, Espanha, França entre outros países, que durante nove dias permaneceram em Ponte de Sor.

Para descontrair após os ensaios, supervisionados por professores e sempre em segurança, houve várias atividades ao ar livre, jogos tradicionais, campeonatos de futebol, kayaks, padle, mini-golf, ténis, piscina, entre tantas outras.

"Ópera vs Teatro Musical" é a temática do concerto de encerramento, de entrada gratuita, que vai decorrer, a partir das 21h30 de sábado, dia 3, no anfiteatro da zona ribeirinha de Porte de Sor.

No domingo, dia 4, tem lugar o segundo concerto na Aula Magna, em Lisboa, a partir das 18h00.


sexta-feira, 5 de julho de 2019

SBROING ao vivo em Cabo Verde



Para assinalar o Dia da Independência de Cabo Verde, lembramos que há menos de um ano o SBROING foi à Escola Básica do Tarrafal, em Santiago, Cabo Verde, para contar um história infantil que nos traz um exemplo de como devemos tratar bem os nossos animais de estimação. Sorrisos e abracinhos bons foi o que a ameba ganhou de volta.

Podes ouvir a história e ver o vídeo aqui.


quinta-feira, 4 de julho de 2019

Candidatura de Leiria a Capital da Cultura lança jogo para combater iliteracia cultural



A candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027 está a lançar o programa Embaixadores Rede Cultura 2027, jogo que visa "combater a iliteracia cultural" e "promover todos aqueles para quem a cultura importa".

A organização já começou a receber inscrições para "embaixadores" e propostas de programação de agentes culturais dos 26 municípios que integram a Rede Cultura 2027 para o projeto de "gaming", que arranca no dia 1 de outubro, Dia Municipal da Música, explicou o coordenador da candidatura. "Ser embaixador é, antes de mais, vestir uma camisola, assumir publicamente a militância cultural e, em concreto, também promover a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura", afirma Paulo Lameiro.

O desafio tem como objetivo principal "advogar a militância pela cultura".

"Importa empoderar aqueles para quem as artes, o pensamento, as experiências estéticas, o património material, imaterial e natural, são verdadeiramente importantes nas suas vidas", salienta o coordenador.

Os "embaixadores", que podem ser público ou artistas, serão convidados a promover "práticas e consumos culturais" para "capacitar culturalmente a comunidade em que se inserem". Além de assistirem ou protagonizarem eventos culturais que aconteçam no território da candidatura, noutro ponto de Portugal ou no estrangeiro, serão ainda incentivados a "desenvolver o seu sentido crítico para a cultura", partilhando opiniões sobre o que assistiram ou sobre o que apresentaram.

Dessa forma, somam títulos e os mais ativos embaixadores da Rede Cultura 2027 terão oportunidade de aceder a bilhetes, transportes, refeições, alojamento, estar com artistas nos bastidores ou até "poder integrar como artista convidado alguns projetos da Rede Cultura".

A participação é aberta a todos os cidadãos europeus de qualquer idade que se registem na plataforma Rede Cultura 2027. Através do jogo espera-se "combater a iliteracia cultural e promover todos aqueles para quem a cultura importa".

terça-feira, 2 de julho de 2019

Olavo Bilac diz ao SBROING: «Eu cantava Elvis Presley à minha filha, como o meu pai me cantava a mim»

Olavo Bilac conheceu o SBROING


Olavo Bilac anda a cantar um música nova chamada 'Estou Aqui', que podes ouvir no final desta entrevista. O vídeo foi filmado no percurso entre a Serra de Sintra até ao Guincho.

Com a sua eternamente inigualável voz rouca, o cantor, que se popularizou enquanto vocalista dos Santos & Pecadores, regressa para "contar coisas das nossas vidas" e para mostrar o quanto ainda tem para dar ao mundo da música pop cantada em português.

Aos 51 anos, o artista aventura-se a solo pela segunda vez e tem sido muito bem recebido pelo público, como aconteceu em Arruda dos Vinhos, onde aceitou ter uma simpática conversa com o SBROING.

Olavo Bilac já deu voz a bonecos nos filmes "Spirit" e "Panda do Kung Fu".


O percurso da vida musical de Olavo Bilac começou em 1987 com a formação da banda Santos & Pecadores, onde começou como baixista. A necessidade da banda ter um vocalista levou Olavo Bilac a começar a cantar alguns temas. Devido ao timbre que caracteriza a sua voz, entrou logo para o lugar de vocalista principal.

Em 1993, integrou o projeto Resistência que também obteve grande popularidade.

Ao longo da sua carreira, participou em vários projetos de outros músicos, entre os quais "Portugal a Cantar" com Miguel Ângelo, Miguel Gameiro, Anabela e Rita Guerra. Em 2010, Olavo Bilac foi um dos nomes que participou no projeto "Zeca Sempre", que homenageia José Afonso, em parceria com os cantores Nuno Guerreiro (Ala dos Namorados), Tozé Santos (Per7ume) e o produtor Vítor Silva.


 

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Catarina Requeijo apresenta "Muita Tralha, Pouca Tralha"



Catarina Requeijo, atriz e criadora da peça para infância "Muita Tralha, Pouca Tralha", uma co-produção do Teatro Maria Matos e Formiga Atómica, Associação Cultural, traz-nos um espetáculo temático para o Dia da Criança - dia 1 de junho - no Centro Cultural da Malaposta.

Este espetáculo surgiu de um convite de Susana Menezes, programadora para a infância do Teatro Maria Matos. Anteriormente, Catarina Requeijo tinha feito um espetáculo a convite do programa "Descobrir", da Fundação Calouste Gulbenkian - A Grande Corrida (2012) - que conta as aventuras de uma automobilista chamada Manela que, apesar dos obstáculos que surgem ao longo da prova, nunca desiste e acaba por receber o primeiro prémio. A simplicidade dos recursos cenográficos (Maria João Castelo) e a eficácia do texto em rima (da Catarina e Inês Barahona), com uma estrutura de acumulação e repetição que permite a interação com o público, fizeram com que o espetáculo circulasse por muitos locais distintos e fosse bem recebido. Um desses locais foi o Teatro Maria Matos, em Lisboa.

O pedido da Susana Menezes foi no sentido de criar um outro espetáculo de características semelhantes, um espetáculo "todo-o terreno".

«Todo o processo foi bastante hilariante e prazeroso, desde a escrita do texto, à descoberta da relação com os objetos, à escolha do figurino, ao processo de ensaios. No entanto, talvez possa destacar uma situação: pensei neste projeto para dois atores, um casal, e foi assim que começámos os ensaios. Por motivos de força maior, o ator teve de desistir, a estreia estava próxima e tínhamos de encontrar uma solução. Lembro-me muito bem de um dia chegar ao Maria Matos e fazer um ensaio de improvisação em que alternava entre as duas personagens - Odete e Alfredo. Foi um pouco esquizofrénico, mas muito cómico e acabou por ser essa a solução final», diz Catarina Requeijo.

Aqui fica o link para os bilhetes de "Muita Tralha, Pouca Tralha".


quarta-feira, 29 de maio de 2019

Elisabete Mália sobre o seu segundo livro infantil: «É muito importante trabalhar a aceitação; não somos todos iguais»



Elisabete Mália está a lançar o seu segundo livro infantil, intitulado "Bem-me-quer, quer-me-bem!".

Com ilustração de Mariana Torpes Fernandes, o conto infantil, mas também indicado para adultos, fala-nos de duas comunidades: o campo dos bem-me-quer e o campo dos mal-me-quer.

A história, ficcionada, começa com uma pequena flor cuja semente, por acidente, cai noutro campo de flores que leva a uma transformação na sua comunidade. O conto fala-nos de transformação, de criação de novos hábitos, da pressão dos grupos sobre quem é diferente, da aceitação, da magia do amor e da nossa intuição.

Graças à esperança e à força de acreditar, no final da história percebemos que juntos conseguimos mais e melhor, desde que seja em nome do amor.

O conto termina com a criação de uma nova tradição e alteração do nome da comunidade dos mal-me-quer para bem-me-quer.

Na página de Facebook da Elisabete podem adquirir o livro que custa seis euros.

Aqui está a conversa simpática e serena que tive com a Elisabete.




sexta-feira, 24 de maio de 2019

Dia 1 é lançado o Caderno "Neo-Realismo e Infância"



No próximo dia 1 de junho, pelas 16h00, decorrerá no Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira, o lançamento do Caderno "Neo-Realismo e Infância", da Coleção Cadernos Nova Síntese.

Esta publicação reúne comunicações e conferências apresentadas no âmbito da Exposição "Miúdos, a vida às mãos cheias - A infância do Neo-Realismo português", que esteve patente no Museu do Neo-Realismo entre dezembro de 2017 e setembro de 2018.

"Neo-Realismo e Infância" terá apresentação de Vítor Viçoso e Bernardete Capelo Pereira, e conta também com as presenças de António Mota Redol, em representação da Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo, e de Carina Infante do Carmo e Violante F. Magalhães, coordenadoras da edição e curadoras da Exposição.


quarta-feira, 22 de maio de 2019

Primeiras confirmações da 12.ª edição do Festival Panda



"Trolls", "Hey Duggee" e "Porquinha Peppa" são as primeiras personagens confirmadas para o espetáculo principal da 12.ª edição do Festival Panda, o maior evento infantil em Portugal, que este ano será dedicado à sustentabilidade ambiental e preservação da natureza, com o tema "Planeta Feliz".

O mundo colorido, encantador e irreverente dos "Trolls", o adorável cachorro "Duggee", responsável por um centro de atividades para bebés e as divertidas façanhas de "Peppa", a porquinha mais rechonchuda da televisão, são protagonistas de séries de animação de sucesso e farão as delícias dos mais pequenos nos vários dias de festival.

Os primeiros espetáculos confirmados decorrem em Vila Nova de Gaia (Estádio Municipal Parque da Cidade), nos dias 29 e 30 de junho e em Oeiras (Parque dos Poetas) a 5, 6 e 7 de julho.

Depois de em 2018 ter consolidado o sucesso alcançado com um total de 75 mil visitantes, este ano esperam-se dias de pura euforia nos espetáculos de palco e através das diversas animações e atividades disponíveis no recinto, garantindo a todas as crianças e aos seus familiares um dia muito especial repleto de alegria na presença das suas personagens preferidas.

Os bilhetes estão à venda ao preço de 18 euros para uma entrada individual e de 49 e 59 euros para pacotes familiares de três e quatro bilhetes, respetivamente. Estes preços são válidos até 31 de maio.

No dia 5 de julho no Parque dos Poetas, em Oeiras, realiza-se apenas a Sessão da Tarde.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Programação do canal Nickelodeon para maio



O canal Nickelodeon, um dos media de entretenimento para crianças e família mais reconhecidos e amplamente distribuídos pelo mundo inteiro, apresenta ainda várias propostas para os próximos dias antes das férias se instalarem em definitivo.

O canal estreia a nova temporada de "Classe de Cavaleiros", uma emocionante série de imagem real que acompanha as aventuras de Ciara e Arch, dois jovens decididos a serem cavaleiros de elite na escola do reino mágico de Astoria.

Os novos episódios estreiam na segunda-feira, dia 27 de maio, às 21h00, e são exibidos de segunda a sexta sempre neste horário.

Às sextas-feiras, as "Orange Fridays" vão invadir a tua vida. Deixa que o efeito laranja flua através de ti! Todas as sextas, há uma nova maratona para começar o fim de semana sem parar de rir. As "Orange Fridays" são exibidas às sextas-feiras de maio, às 16h50.

segunda-feira, 13 de maio de 2019

PAN quer sesta para todas as crianças do pré-escolar



Garantir que todas as crianças do ensino pré-escolar dispõem de condições para dormir a sesta nos estabelecimentos, públicos ou privados que frequentam, é o objetivo do projeto de resolução que o Partido Pessoas-Animais Natureza (PAN) apresentou na semana passada no Parlamento.

"A privação da sesta e a não realização do total de horas de sono diárias são uma problemática frequente na prática clínica pediátrica e motivo de preocupação para os pediatras e médicos de família assim como para as respetivas famílias", lê-se no documento em que o PAN recomenda ao Governo que "proporcione as condições adequadas, nomeadamente leito ou colchão, ambiente calmo, escuro, com temperatura adequada, limitação de ruído e com vigilância, a todas as crianças em idade pré-escolar a fim de assegurar a qualidade do sono da sesta".

O Governo deve ainda diligenciar no sentido de garantir que cada criança que frequente o ensino pré-escolar "tenha um plano individual de sesta, acordado com a família". Competirá à educadora de infância promover a sesta entre as crianças quando "na presença de manifestações de privação de sono".

Estas recomendações coincidem com as divulgadas em junho de 2017, pela Sociedade Portuguesa de Pediatria, cujos peritos alertam para o facto de a falta de sesta, e a consequente privação do sono, nas crianças até aos cinco ou seis anos de idade poder provocar "um vasto leque de perturbações orgânicas, físicas, psíquicas e emocionais, por vezes, com consequências a curto e longo prazo na saúde e bem-estar do adolescente e do adulto, que podem mesmo ser irreversíveis".

Dormir poucas horas pode mesmo, de acordo com vários estudos, estar associado a elevados índices de massa corporal, ou seja, à obesidade. Ao contrário, dormir com qualidade o número de horas recomendadas, está associado a melhorias na "atenção, comportamento, aprendizagem, memória e regulação emocional", entre outros benefícios.

"Não deixar dormir uma criança que precisa é quase tortura", lembra o pediatra Mário Cordeiro, citado no projeto de resolução do PAN.

Apesar destas evidências, a sesta entre as crianças é habitual em Portugal, mas apenas até aos três anos de idade. Quando passam da creche para o pré-escolar, crianças que continua a dormir a sesta caem drasticamente em percentagem: para os 28,9% aos quatro anos de idade e para os 7,8% aos cinco anos de idade, segundo um estudo citado pelo PAN.

E, apesar de os requisitos legais para a instalação e funcionamento de estabelecimentos de educação pré-escolar prever especificamente uma sala de repouso, na realidade poucas crianças têm acesso à sesta, "situação particularmente grave nas instituições públicas".

terça-feira, 30 de abril de 2019

"E Se...?", um livro infantil com uma mensagem para todas as idades



"E Se...?" é uma obra infanto-juvenil da Sana Editora, escrita por Raquel Garcez Pacheco e ilustrada por Bárbara Neto, lançada há um mês em Lisboa, que tem uma mensagem para todas as idades.

"E Se...?" é como uma viagem de balão pelo mundo da constante inconformidade humana, onde a fantasia ilustra o desejo e o sonho permanentes. A obra tem vindo a cativar miúdos e graúdos, uma vez que, apesar de ser uma história infantil, a narrativa tem várias mensagens que se podem extrair: uma mensagem de motivação que retrata a importância de acreditarmos que é possível realizarmos os nossos sonhos, que é importante sermos inconformados para nos permitirmos voar, sem medo, com ambição; uma mensagem de inspiração (nas crianças) pela sua curiosidade, bravura e imaginação. Tudo é possível aos olhos destemidos de uma criança. Perpetuar esta essência de criança em nós, é dar asas aos sonhos, é querer ser um herói, guerreiro e vencedor; e uma mensagem de reflexão universal - a eterna pergunta "e se?" que nos faz escrever a nossa história pessoal pelas escolhas que fazemos, consequência ou não do livre-arbítrio: E se? E se eu fosse? E se eu tivesse feito de outra forma? E se tivesse escolhido aquele outro caminho? E se...?.

Para a autora Raquel Garcez Pacheco, uma boa narrativa é aquela que gera conexão e comunica, de alguma forma, uma mensagem inspiradora. "Nesta história tentei, subtilmente, espelhar o mundo real através do mundo mágico dos sonhos. O encadeamento da narrativa retrata, simultaneamente, ambição, desejo, realização e, também, insatisfação, despertando no leitor valores como a motivação e a resiliência. A constante busca por uma perfeição que não existe, os "ses" da vida, tudo isto move as minhas personagens inspiradas em diversos contextos", lê-se na nota enviada à imprensa.

Contextos e cenários reais, como a rota das amendoeiras no norte do país, ou a rota dos golfinhos no Sado, na região sul, factos informativos que a autora - formada em jornalismo - adiciona à história.

Bárbara Neto, autora das ilustrações de "E Se...?", revela que o projeto a permitiu "voar para o mundo imaginário dos sonhos", onde tudo é possível: "Quando falei a primeira vez com a Raquel sobre a sua história, logo me vieram à cabeça grandes pinceladas em aguadas, leves e cheias de cor. Não podia ser nada muito real, nem muito descritivo, pois toda a história pertence a um mundo que não existe, mas que coexiste em todos nós, nos nossos sonhos. Os meus desenhos tentaram ir ao encontro dessa descrição que a Raquel faz a cada desejo, cada personagem".

O livro, que está à venda de norte a sul do país, é como uma viagem de balão pelo mundo da constante inconformidade humana, onde a fantasia ilustra os desejos e os sonhos permanentes.

sexta-feira, 22 de março de 2019

Professor Jorge fala sobre "O Circo do Unicórnio" ao SBROING: "Era uma história que precisava mesmo ser contada"



"O Circo do Unicórnio" é uma peça de teatro musical, um lançamento digital, um livro e um CD de Jorge Courela, também conhecido como Professor Jorge junto dos mais pequenos. São 16 canções, cujo ponto de partida é um avô a contar histórias à neta.

Jorge Courela atendeu o telefone ao SBROING e descreveu esta peça de teatro musical como uma "viagem de descoberta da personagem do unicórnio".

Cada imagem, cada criatura é um convite a inúmeras interpretações, um estímulo à imaginação, um acordar de partes adormecidas. Paira pelo musical o espectro da pergunta: Quem é o Unicórnio? O autor não dá uma resposta fechada... sugere, instiga, baralha e todos se divertem.

"Era uma história que precisava mesmo ser contada", diz-nos. Os livros anteriores, de certa forma, vieram preparar a chegada deste.

Este é já o terceiro trabalho do Professor Jorge que o complementa com o trabalho educativo de ir às escolas, algo que descreve como "maravilhoso".

Ora ouve aqui a entrevista completa.


E mais abaixo não podes deixar de ouvir o 'Esqueleto Anacleto'.


quarta-feira, 6 de março de 2019

Vem aí a 12.ª edição do Festival Panda com o tema "Planeta Feliz"



A 12.ª edição do Festival Panda, o maior evento infantil em Portugal que no ano passado atingiu um total de 75 mil visitantes, será dedicado à sustentabilidade ambiental e preservação da natureza, com o tema "Planeta Feliz".

O Panda está preocupado com o planeta, mas como não consegue mudar o mundo sozinho, pretende sensibilizar os mais pequenos para a conservação da natureza em ambiente de festa. Os primeiros espetáculos confirmados decorrem em Vila Nova de Gaia (Estádio Municipal Parque da Cidade), nos dias 29 e 30 de junho, e em Oeiras (Parque dos Poetas) a 5, 6 e 7 de julho.

Esperam-se dias de pura euforia nos espetáculos de palco e através das diversas animações e atividades disponíveis no recinto, garantindo a todas as crianças e aos seus familiares um dia muito especial repleto de alegria na presença das suas personagens preferidas.

Os bilhetes estão à venda nos locais habituais com desconto até 31 de maio, ao preço de 18 euros para uma entrada individual, e de 49 e 59 euros para pacotes familiares de três e quatro bilhetes, respetivamente.

A partir de 1 de junho:
Bilhete Individual: 20 euros
Pack 3 bilhetes: 55 euros
Pack 4 bilhetes: 68 euros

Horários:

Sessão da Manhã 
Abertura das Portas - 09h00
Início dos Espetáculos - 10h30
Fim dos Espetáculos - 12h30
Encerramento do Recinto - 13h30

Sessão da Tarde
Abertura das Portas - 15h30
Início dos Espetáculos - 17h00
Fim dos Espetáculos - 19h00
Encerramento do Recinto - 20h00

NOTA:
No dia 5 de julho no Parque dos Poetas, em Oeiras, realiza-se apenas a Sessão da Tarde.

sexta-feira, 1 de março de 2019

Amanhã há Muvi Kids em Almada com Charlie Mancini



Charlie Mancini atua amanhã, às 16h30, no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada, no âmbito do Muvi - Festival Internacional de Música no Cinema.

O Muvi Kids é um espetáculo para todas as idades, ideal para crianças, pais e avós.

O cineconcerto interativo consiste numa  performance e explanação do que Charlie Mancini faz enquanto acompanhador musical de cinema mudo.

O espetáculo abrange filmes completos musicados ao vivo como "Felix, The Cat", "Georges Méliès", "Charlie Chaplin" e "Buster Keaton", onde se apresenta a história da sétima arte desde os seus primórdios. Tudo isto é apresentado de uma forma dinâmica e divertida. Charlie Mancini interage com os participantes que são estimulados para a importância da simbiose entre os sons e o cinema.

Podes ver abaixo Charlie Mancini a atuar ao vivo em Budapeste, na Hungria - cinema mudo português musicado ao vivo.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Sandra Baptista, das Señoritas, ao SBROING: «Para mim o Tarzan era um fascínio (...) conseguia comunicar com os animais»

Sandra Batista conheceu o SBROING e falou-lhe sobre desenhos animados

Señoritas é o projeto musical que, em 2016, juntou Mitó Mendes (A Naifa) e Sandra Baptista (A Naifa / Sitiados). Em 2014, com o fim d'A Naifa, partilhando o gosto comum de ensaiar, compor e tocar juntas, nasceram as Señoritas. Desta vontade, surgiu um conjunto de canções que, segundo nos disse Sandra Baptista, «nunca foram pensadas para partilhar com o público».

"Acho Que É Meu Dever Não Gostar" foi o disco de estreia. Mitó Mendes está na voz e guitarra e Sandra Baptista comanda o baixo elétrico e o acordeão, apoiadas por sets de programações que realçam a crueza e simplicidade linguagem musical, entre «lanches e almoços».

O mais recente disco traz dez faixas, dez histórias, duas mãos-cheias de inquietação e a simplicidade de um trabalho sem pretensões que capta a "energia inicial" das duas.

Já quando falamos de desenhos animados, Sandra Baptista era fascinada pelo Tom Sawyer e pelo Tarzan, como podes ouvir aqui. 


As músicas, todas originais, da autoria da própria banda. O tema 'Nova', disponível mais abaixo, foi o cartão de visita do segundo álbum da dupla, chamado "As Saudades Que Eu Não Tenho" que reflete a vida de duas mulheres, nas suas falhas e sonhos, partilhados entre «compras, porque somos mesmo amigas».

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Ricardo Azevedo falou sobre os seus projetos infantis ao SBROING: «É uma carreira paralela ao meu registo mais adulto»

Ricardo Azevedo falou sobre os seus projetos infantis ao SBROING

"Kaizen" é o mais recente disco de Ricardo Azevedo, lançado em outubro, e que já levou o cantor a uma passagem pelas FNACs do norte do país. Não tarda nada estará mais na zona da capital, certamente.

A história deste disco remonta ao início do milénio... Foi num dia frio e chuvoso, numa esplanada na Foz, que Ricardo Azevedo e o Saul Davies se conheceram e começaram a dar os primeiros passos para este disco, mesmo sem o saberem. Na altura, Ricardo Azevedo estava nos Ez Special, lembras-te? Três discos a solo depois, a dupla juntou-se novamente em Londres e Glasgow para gravar algumas canções: 'For You' é a 6.ª faixa de "Kaizen"; 'Blue Song' foi incluída como faixa extra no single de "Daisy" e foi agora regravada.

Paralelamente às colaborações internacionais, Ricardo Azevedo começou a compor em português, procurando novas sonoridades que resultaram em "Kaizen" - uma viagem que faz uma ponte sonora entre um passado e um futuro musical. 'Castelo do Queijo' é um hino à cidade do Porto e 'Não Sou Humano' é uma crítica ao lado mais obscuro do Ser Humano. Já 'A Tua Chama', vai numa nova direção sonora, mais dançável e alegre, que descreve as relações como uma chama, que tanto podem ser fugazes ou então de promessas de amor eterno.

Além do disco, Ricardo Azevedo, desde 2012 que faz músicas para manuais escolares. «Fiquei todo contente quando me fizeram esse convite porque sempre tive esse sonho e vontade de fazer música infantil», disse o cantor ao SBROING, como podes ouvir clicando aqui em baixo.


E aqui podes ver o vídeo da música 'Vou Para a Escola'. Muito divertida!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Arrancaram os projetos "Brigada do Amarelo" e "Qual é o Seu Papel?"


As escolas do Concelho de Vila Franca de Xira participaram na reciclagem de embalagens e papel.

"Brigada do Amarelo" e "Qual é o Seu Papel?" resultam de uma parceria com a Valorsul.

À "Brigada do Amarelo", atividade de sensibilização ambiental para a importância da deposição seletiva de embalagens, que já vai na sua décima edição, junta-se, pela primeira vez, um novo projeto - "Qual é o Seu Papel?" - , que convida agora a Comunidade Educativa a envolver-se também na correta utilização do ecoponto azul.

E tu, já convidaste os teus pais a reciclar?

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Frederico BC tomou o pequeno almoço com o SBROING: «Tenho uma música infantil sobre um pirata porreiro»

Frederico BC conta ao SBROING que tem uma canção sobre um pirata

Depois de ter apresentado ao vivo, no Capitólio, o seu segundo álbum em novembro do ano passado, chamado "Do Outro Lado da Rua", Frederico BC aproveitou o Natal para mostrar mais uma canção nova, 'Pai Natal Amigo'. Podes ouvi-la mais abaixo.

Além desta canção, que ainda nos sabe bem ouvir neste início de ano, o cantor também falou ao SBROING sobre um outro tema infantil que é muito aplaudido nos seus concertos; é 'O Pirata Jack'.


Sempre bem-disposto e divertido, Frederico BC não quis perder este brunch ao ar livre com o SBROING com quem brincou de forma descontraída.

O sorriso esteve também sempre presente nesta conversa. Esperamos que gostes das cantigas que Frederico BC fez para nós.


 

E se em plena noite de Natal o Pai Natal viesse ter contigo e te confessasse alguns dos seus truques para conseguir entregar todos os presentes?

Este é o mote de uma história de Natal encantadora, contada e cantada por Frederico BC, que vai certamente inspirar pelo ano inteiro, com o espírito natalício.

Aqui fica a letra para aprenderes:

'Pai Natal Amigo'

Eu tenho um Pai Natal amigo
Que gosta de passar comigo
Umas horas na noite de natal
Depois de tamanha viagem
Já sem presentes na bagagem
Um aconchego não cai nada mal

Só pensa dar descanso às renas
Principalmente às mais pequenas
Tem sempre que lhes dar mais atenção
Sem nunca esquecer as dietas
Pois elas são como atletas
O esforço pode causar distensão

Fala das dores que tem nos pés
Que não se fazem chaminés
Iguais às que havia antigamente
São prédios só com exaustores
E ele tem de usar os elevadores
Sujeito a ser visto por toda a gente

Diz já ter saudades das bolas
Agora só pedem consolas
E os jogos já são todos em CD
Por carta já ninguém lhe escreve
O saco até fica mais leve
E há tempos até passou na TV

Ele gosta das minhas filhoses
Adora tâmaras e nozes
Contudo, não é fã de rabanadas
Diz ter cuidado com a saúde
Já lá vai longe a juventude
Mas sabe sempre todas as moradas

Pegando então no seu diário
Faz contas ao fuso horário
E diz que está na hora de partir
Tomando assento no trenó
Acena-me uma vez só
E com o "Ho Ho Ho" se faz ouvir


 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Tiago Maria Ramires fala ao SBROING sobre a peça "Feliz Natal Lobo Mau": «Foi um processo muito engraçado»



O Natal já passou mas para o SBROING vale a pena perpetuar o espírito desta quadra e trazer para janeiro tudo o que de bom aconteceu no Natal 2018.

O presente de hoje é a conversa com o Tiago Maria Ramires, dos Cambraia, que também viveu de forma intensa o Natal na peça "Feliz Natal Lobo Mau".

Natal é sinónimo de presentes mas também de passar tempo bom, com qualidade, com os nossos amigos e familiares, principalmente, aqueles que não vemos todos os dias.

O livro "Feliz Natal Lobo Mau" é assinado por Clara Cunha, a mesma autora de "O Cuquedo", de 2008, com ilustração de Natalina Cóias, e em ambos há o mesmo registo de surpresa no final da história, que pode ser bastante potenciado numa leitura em voz alta (está aqui uma ideia para SBROING?!). 

 

A autora e a ilustradora concordaram em transformá-lo numa peça de teatro cantada, o que foi um regalo para o Tiago que nos conta o porquê de ter alinhado nesta aventura a que deu voz.


Tiago Maria Ramires andou a tentar descobrir quem era o verdadeiro SBROING no meio de vários bonecos

O espetáculo realizou-se na festa de lançamento do Natal de Almada em que se acenderam todas as luzes de Natal da cidade na presença de centenas de crianças e respetivas famílias.

Foi a primeira vez que o Tiago participou numa iniciativa infantil deste género e espera que venha a repetir-se.